Mês: agosto 2019

22º Ato: contra o congresso e STF…

Mais uma vez a população foi às ruas. Em vários estados e no Distrito Federal ocorreram manifestações neste 25 de agosto contra o projeto de lei de abuso de autoridade, que foi aprovado pelo Congresso e esta no aguardo da sanção presidencial.

Manifestantes na Avenida Paulista pedindo o veto integral ao projeto de abuso de autoridade, apoio e Sérgio Moro e ao presidente Jair Bolsonaro, ao ministro do meio ambiente Ricardo Salles e contra os ministros do STF e o Congresso (Maia e Alcolumbre).

Os atos cívicos de protestos ocorreram em todas as regiões do país. No Sudeste, os pontos principais de de maiores concentrações ocorreram em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Vitória. No Sul, houve manifestações principalmente em grande concentrações em Curitiba e Porto Alegre, enquanto no Centro-Oeste os atos foram realizados em Goiania e no Distrito Federal.

No Nordeste, Bahia, Maranhão, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Alagoas realizaram atos, enquanto no Norte do país foi Belém que se destacou.

Convocados por movimentos sociais os atos de protestos também deram foco na indicação do procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, à PGR (Procuradoria-Geral da República), o impeachment do ministro Dias Toffoli, presidente do STF e de Gilmar Mendes, a manutenção da prisão do ex-presidente Lula, a pauta da CPI da Toga contra STF e declaração incondicional de apoio ao ministro Sergio Moro (Justiça) e ao governo Bolsonaro.

Em Porto Alegre, bonecos representando os ministros do STF, receberam um simbólico tratamento
Em São Paulo, o ato na avenida Paulista contou com um boneco gigante do ex-juiz com a frase “Mexeu com o Moro, mexeu com o povo brasileiro”. Em Brasília novamente o boneco gigante do Super Moro foi exposto, numa claro declaração de apoio as realizações do ex-juiz na operação Lava Jato, já que no último dia 14, a Câmara dos Deputados aprovou projeto que endurece punições por abuso de autoridade de agentes públicos, entre eles juízes e promotores, numa clara tentativa de intimidação das investigações e ações contra a corrupção, e demais crimes qualificados. Para Deltan Dallagnol e para a população o combate à corrupção e ao crime organizado no país está sob forte ataque por parte dos poderes legislativo e judiciário.

Em uma de suas manifestações públicas, ele afirmou que a operação “Lava Jato” e todos os mecanismos anticorrupção do Brasil estão ameaçados por ações do Congresso, do STF: “A gente vê um movimento amplo de enfraquecimento do combate à corrupção”. Não é um movimento restrito, simples, mas sim uma enorme orquestração envolvendo o Legislativo e o Judiciário, ao que a população percebendo foi as ruas em mais este ato cívico..

No Rio, o palco da manifestação a orla de Copacabana, enquanto em Belo Horizonte a praça da Liberdade, em Vitória, a manifestação, na praia de Camburi, em Salvador no Farol da Barra até o Morro do Cristo. Em Maceió, na praça Vera Arruda, em São Luís, em frente à sede da PF, em Recife na avenida Boa Viagem, em Natal, no bairro Tirol. Em Brasília, o palco foi o gramado em frente ao Congresso e em Goiânia em frente a sede da PF. Em Curitiba, capital da Lava Jato, os protestos ocorreram na tradicional Boca Maldita e em Belém, na av. Presidente Vargas.

Mas além das capitais houve manifestações em cidades pelo interior dos estados, realçando a indignação da população com essas medidas de combate ao crime e à corrupção. É mais um ato cívico registrado não em destaque pela mídia tradicional, mas sim pelas redes sociais, que tem desempenho excepcional nos registros desses eventos.

As imagens e vídeos publicados dão a percepção da grandiosidade desses atos de insatisfação do povo:

Em Brasilia
Na Avenida Paulista
No Rio, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e muitas outras cidades do interior do país


Relembre também os outros atos cívicos: