Há quatro anos, o blog postou uma matéria sobre Hal Lasko, que fazia de um tradicional programa embutido nas versões do Windows, o MS Paint, sua prancheta e seu estúdio de arte, desenvolvendo telas, verdadeiras obras de arte, aproveitando-se da arte digital por pixels criada lá nos anos 90.

Hal Lasko faleceu um ano depois (2014) mas a mídia noticiou fartamente seu trabalho, inclusive este blog.

E agora eis que aparece mais um artista, também idoso, que assim se tornou, desta vez utilizando o Microsoft Excel, Tatsuo Horiuchi.

Hoje aos 77 anos, relatou que quando se aposentou, se interessou por pintura, mas acabou deixando de lado as tintas, telas e escovas e decidiu usar um aplicativo do MS Office já instalado em seu PC, o Excel.

Sabendo que começar um novo passatempo exigiria um investimento pesado em tempo e equipamento, programas caros, fez uma curiosa opção de usar o Excel como sua prancheta de arte digital.

O artista vem criando obras-primas digitais incrível e detalhadamente da paisagem japonesa, tudo no software de negócios que veio gratuitamente em seu computador.

Como ele dizia:

“Eu nunca usei o Excel no trabalho, ou para qualquer outra coisa mas vi outras pessoas fazendo gráficos bonitos e pensei: Provavelmente eu poderia desenhar com isso “, afirmava ele em entrevista ao site japonês PC Online e “é mais fácil de usar do que o Microsoft Paint”, acrescentava. Ele também tentou trabalhar com o Microsoft Word, mas percebeu que ele não oferecia a flexibilidade que o Excel proporcionava.

Cerca de 17 anos atrás, pouco antes de se aposentar, ele decidiu que precisava de um novo desafio em sua vida e então comprou um computador, para tentar fazer arte digital. Mas o Sr. Horiuchi da Prefeitura de Nagano, Japão, não usava o Photoshop ou qualquer outro software de edição de gráficos. Essas intrincadas obras de arte digital foram feitas inteiramente no Microsoft Excel, sim aquele robusto programa comercial usado há décadas por empresas no mundo todo!

Trabalhando em sua “prancheta digital”

É difícil acreditar que o software de planilha eletrônica pode ser usado para tornar algo muito atraente, como arte. Depois desses anos todos experimentando a arte digital, o Sr. Horiuchi é agora um artista célebre cujas obras foram exibidas tanto local e nacionalmente e começa a ficar famoso internacionalmente.



Horiuchi ganhou atenção quando, em 2006, ele entrou no Excel Autoshape Art Contest. Seu trabalho, que era muito superior ao das outras pessoas, encantou os juízes. Horiuchi ocupou o primeiro lugar e continuou a criar um trabalho que foi adquirido pelo Gunma Museum of Art. Não acredita que estes quadros foram feitos no Excel? Você pode então baixar estas duas amostras em arquivo Excel e brincar com eles:

Segundo se apurou ele afirma que usa muito o recurso ‘autoshape’ para criar as cenas altamente detalhadas, que podem ser giradas livremente, pessoas, plantas e animais e outros objetos. O artista, em seguida, combina cores e formas personalizadas para montagens incrivelmente detalhadas. Olhando muito de perto, às vezes é possível escolher pedaços individuais de um todo exposto. Certamente ele deve também usar o tamanho de células como alguma simulação de pixel para produzir objetos.

Explorando as entranhas do Excel com o recurso “autoshape” ele cria obras incríveis

Uma perfeição sobre “pintura” no Excel é que você pode imprimir sua obra de arte para qualquer tamanho, pois um número infinito de células garante que há espaço de design suficiente para o maior dos projetos. Além disso, é impossível distorcer uma planilha do Excel, pois seu principal uso é como um banco de dados imutável, além da perfeição geométrica de seu “dashboard” assentado em suas células.

Tanto Hal Lasko como Tatsuo Horiuchi, exploraram duas ferramentas digitais numa mesmo época mas em distâncias enormes um do outro, mas deixam um legado desafiador na exploração de limites tanto pessoais como das próprias ferramentas da Microsoft.

Tatsuo Horiuchi também vende seus cds com suas obras no site: http://www2.odn.ne.jp/~cbl97790/watasinoCD.htm