No próximo dia 25 de janeiro a grande cidade chega em mais um aniversário.

Acima o cenário retratado em óleo sobre tela de Benedito Calixto, onde a capital paulista foi fundada em 1554. Abaixo as torres do Brooklin paulista nos dias atuais.

Certamente os jesuítas Manoel da Nóbrega e José de Anchieta quando se instalaram no planalto de Piratininga para desenvolver seu trabalho de catequização dos índios não imaginavam no que este local se transformaria.

Num ponto elevado cercado por duas bacias de várzea a dos rios Anhangabaú e do Rio Tamanduateí, há 464 anos, os dois jesuítas aventureiros celebraram a primeira missa e iniciaram a construção do famoso colégio que marcou o início do povoado de Piratininga, que em 1560, ganhou o status de vila, sendo oficializada pela Coroa Portuguesa como uma cidade em 1815.

De lá para cá, de Anchieta a Dória, atual prefeito, tudo se transformaria, não de uma maneira normal, mas algo que historiadores e pesquisadores tentam explicar continuamente, numa excepcional metrópole, cidade global, centro cultural e financeiro cuja influência excede em muito seus limites geográficos.

De ponto irradiador dos bandeirantes, que tinham como objetivo explorar o interior do país, capturar índios para escravizá-los e encontrar pedras e metais preciosos, e que foram responsáveis pela expansão dos limites do Brasil, isto foi um dos aspectos alavancadores do espírito de empreender, crescer, influenciar, com muito trabalho, a formação da civilização paulista e paulistana.

As transformações ocorreram de maneira rápida e muitas vezes aos atropelos, influenciados por vários cenários ao longo desses 464 anos, como alguns já relatadas por este blog. Do pequeno povoado em 1554, uma monstruosa cidade, que se associada geograficamente a várias outras periféricas, formando a região metropolitana, tornou-se uma das maiores aglomerações do planeta.

Se de um lado o progresso propiciou grandes feitos, por outro trouxe muitos problemas que ao longo das últimas décadas, tenta-se resolver com algum relativo sucesso. Já não é mais uma selva de pedra cinzenta, úmida pela garôa do planalto, múltiplas cores fazem parte do novo perfil da cidade, o verde depois de muitos investimentos, voltou com seus mais de 100 parques e áreas de preservação, entre elas o Parque da Cantareira, reconhecida recentemente como a maior floresta nativa urbana do planeta, de onde atualmente e infelizmente ressurgiu um novo surto de febre amarela silvestre que hoje tornou-se um dos desafios da cidade.


Com a tecnologia de drones e com os recursos de “time-lapse”, a cidade é retratada em todos ângulos e por muitos, amadores e profissionais que amam a cidade nestes seus 464 anos.


A influência de várias culturas vindas de outros estados e países do mundo, tornou a cidade um caldeirão de diversidades influentes no seu cotidiano. Emigrantes e imigrantes continuam a chegar na metrópole, que se tornou por vários motivos ponto a atração de pessoas, empresas, negócios, pelas suas oportunidades, por seus serviços, por sua infraestrutura, seu clima e localização, etc., etc…

Todas essas culturas aqui instaladas, convivem nos seus 12 milhões de habitantes num conturbado meio urbano, que ainda recebe ao ano 15 milhões de visitantes brasileiros e estrangeiros, para explorar seus museus, parques, negócios, compras e eventos de toda ordem. Este conturbado cenário, é claro produz relação de amor e ódio de alguns, afinal nossa mobilidade urbana é deficitária, mas nem por isto deixa de transportar quase 8 milhões de passageiros por trilhos, outros milhões em ônibus diariamente ao mesmo tempo com a frota de 7 milhões de veículos .

Apesar disto tudo, com ações e obras, muito do cenário catastrófico mudou, já não somos destaque mundial em poluição, nosso transito urbano, apesar de caótico, não é mais um dos piores do planeta como já foi um dia, mas muito ainda falta por fazer.

Nestes últimos anos, quando poderíamos andar com maior rapidez na busca de melhoras, a cidade como país foram assolados por uma crise econômica, atrelada a um caos político de escândalos e corrupção, por uma desastrosa administração petista nestes últimos 4 anos, que ainda influencia muito este primeiro ano da nova gestão da prefeitura, por inúmeras obras de mobilidade urbana andando vagarosamente ou paradas, pois a crise econômica promoveu perdas de arrecadação e os financiamentos oficiais também minguaram, gerando comprometimentos dos contratos e dos projetos.

Um dos destaques da imensa cidade é sua verticalização. É a 3ª maior do mundo em edifícios num ranking de 2014 (atrás apenas de Hong Kong e NY). Com esta grandeza certamente grandes arquitetos ajudaram a construir a arquitetura paulistana. Constantemente são referenciados, e a arquitetura se renova constantemente sem esquecer os estilos do passado e sua conservação. Com muita frequência se escreve sobre isto, como recentemente o lançamento do livro São Paulo nas alturas:



Mas afinal 464 anos entre altos e baixos, não fazem a metrópole perder a garra e o dinamismo, pois continua incansavelmente buscando ser a cidade que satisfaça seus moradores e visitantes. Em quanto isto a metrópole que amamos continua a colecionar números e estatísticas impressionantes.

São Paulo é uma cidade para todos os gostos, todos os estilos, todas as profissões. Fascinante !!, São Paulo é uma metrópole superlativa em tudo, inclusive na diversidade.

Efervescente caldeirão de estilos e culturas onde convivem pessoas de mais de 190 nacionalidades, é também um grande centro de entretenimento:

São mais de 140 teatros, 115 centros culturais e 158 museus, além de inúmeras casas noturnas dos mais diversos estilos para uma das noites mais agitadas do planeta. Sem falar nas compras, com cerca de 82 shoppings e dezenas de ruas de comércio especializado.

E na gastronomia, há mais de 20 mil restaurantes, com 52 tipos de cozinha de todas as partes do mundo. Por motivos assim, vale muito a pena descobrir esta cidade global, repleta de conhecimento, tendências, cheiros e cores.

Seja qual for o estilo, a cidade tem muito a oferecer. São Paulo é feita sob medida para todos e tudo.

Experimente, descubra, aguce seus sentidos e surpreenda-se nesta cidade que é do mundo!

São Paulo é a segunda maior consumidora de pizza no mundo, perdendo apenas para Nova York. Em média, são feitas 720 pizzas por minuto.

  • Outro índice que prova que os paulistanos são realmente “bons de garfo”: por dia, é que são produzidos 10,4 milhões de pães nas mais de 3.200 padarias existentes em São Paulo.
  • Ainda no quesito alimentação, um dos maiores símbolos da cidade de São Paulo é o sanduíche com 300 gramas de mortadela. Vendido no Mercado Municipal, num dos locais mais procurados para quem ama esta iguaria que é o Bar do Mané, vende por mês quase 3 toneladas de mortadela.
  • 30 mil bares completam os números e atendem todo estilo de entretenimento.

Mas, São Paulo não é só a terra da gastronomia. Muita gente encontra em São Paulo a oportunidade de viver melhor. Olha só:

  • O único ginásio de sumô fora do Japão está em São Paulo, no bairro do Bom Retiro.
  • As maiores comunidades de japoneses, libaneses, italianos e portugueses fora de seus países também está localizada na cidade de São Paulo.
  • Existem populações indígenas vivendo em São Paulo. Pertencentes a tribo guarani Krukutu, estas populações vivem nos bairros de Parelheiros e no Parque do Jaraguá.

O trânsito de São Paulo é conhecido por ser um dos mais caóticos do país. Isso se justifica pelo volume de pessoas que circulam na cidade e adjacências.

Só para exemplificar, com mais de 7 milhões de automóveis circulando pelas ruas da cidade, São Paulo tem hoje 20 milhões de habitantes.

  • A maior frota de helicópteros do planeta está em São Paulo: 411, no total.
  • Diariamente, cerca de 3,5 milhões de pessoas passam pelas linhas de metrô.
  • Pelos demais trens, cerca de 3.0 milhões/dia
  • Só na rua 25 de março passam, em média, 450 mil pessoas por dia. Em datas comemorativas como Natal e Dia das Mães, carnaval, etc., este número salta para 1 milhão ou mais.
  • A rua Oscar Freire é considerada uma das ruas mais luxuosas do mundo.
  • 1400 linhas de ônibus, aproximadamente, circulam nos ônibus do sistema de transporte público transportando cerca de 3 bilhões de passageiros por ano.
  • A frota de táxi é composta por 110 mil veículos.
  • Na Avenida Paulista circulam 4200 carros por hora, em horários de pico.
  • O Aeroporto de Cumbica um dos que atende a cidade é o mais movimentado do Brasil e do hemisfério Sul. É hub aéreo do Brasil e sul americano e porta de entrada do Brasil.
  • 16% dos 15 milhões de turistas são estrangeiros, notadamente norte-americanos, europeus e sul americanos.
  • 12 bilhões de reais em movimentação turística/ano.
  • Na promoção de eventos é o 1º disparado no Brasil e 6º das Américas

E claro, não podemos deixar de falar do cenário cultural e artístico em São Paulo, não é mesmo? Além de ser a cidade com maior número de boates do mundo, São Paulo é sede de grandes eventos culturais como a Bienal do Livro, Virada Cultural, Mostra Internacional de Cinema e Anima Mundi. Há também outros eventos de lazer como a Formula 1, eventos de competição esportiva, grandes festivais de música e teatrais, parada LGTB…

É um fato, São Paulo, odiada por alguns e amada por muitos é a cidade onde todos os sonhos podem se realizar.

Anchieta e Nóbrega lá em 1554 jamais poderiam imaginar onde chegaria seu pequeno vilarejo, e com certeza se sentiriam impressionados.

Obrigado, São Paulo, por nos inspirar a crescer. Por ser nosso modelo de grandeza e prosperidade e inspiração. Vida longa São Paulo e:



Bibliografia/Fontes

Videos:

  • Vinheta TV Cultura (0:00-0:29)
  • Urbancityscapes (0:30-3:37)
  • Doidrone (3:38-4:35)
  • Caneca Produções (4:36-8:09)
  • Voei meu Drone (8:10-9:02)
  • Drone Mavic pro (9:03-12:09)
  • TV Gazeta, os números de SP.