A saga explora muito bem sobre a construção da pirâmides e os deuses egípcios (todos extraterrestres), além de navegar por todos os mitos e lendas da humanidade dando a eles um tratamento igual sobre suas origens.

É clássico de ficção científica há 23 anos. Existem relatórios que mostram o crescimento da franquia e da base de fans, apesar de já não ser produzido qualquer capítulo da série desde 2011. Uma possível trilogia anunciada deixou o mundo da SciFi em euforia.
Com um rico roteiro envolvendo a civilização egípcia, maia e todas as lendas e mitos da civilização humana associada a presença de alienígenas e a uma raça de “Antigos”, tem como sustentação o uso de abstrações e teorias da física como “wormholes” e viagem no tempo através do uso de um objeto encontrado no Egito no início do século 20, o famoso anel de transporte “Stargate”.

Tudo começou com a estreia do filme em Outubro de 1994, e a partir dai surgiram as inspirações para três seriados na TV, Stargate SG-1, Stargate Atlantis e Stargate Universe, que somadas somam 17 temporadas, aproximadamente 15 anos) sendo que sòmente a Stargate SG-1 detém o recorde da mais longa série de TV sci-fi nos Estados Unidos e Canada, parceiros na produção dos seriados. Tornou-se um cult que ainda teve mais dois filmes (A arca da Verdade e Continuum).

Um dos primeiros games da saga

Seguiu-se a este cenário o surgimento de livros, jogos, video games, desenhos animados, palestras, encontros entre o elenco e o público, participações em eventos nerds, Comic-Con, etc., todos atrelados na trama principal. Os Internautas então fizeram o crescimento do público sobre o seriados, dando aos fãs uma maneira de compartilhar sua paixão e espalhar a palavra. Com elenco de primeira liderados por Richard Dean Anderson (ex MacGyver), que chegou até a ser produtor de parte da série, o público de fanáticos se mantêm ativo, não tanto no Brasil, mas em vários países.

O filme que deu início a tudo tem sua estrada iniciada em 1928 em Guizé, Egito, onde uma tumba gigantesca é descoberta. Dentro se encontra um grande anel metálico e um amuleto com inscrições e o símbolo do deus Rá que a filha do arqueólogo-chefe, Catherine Langford, pega para si.

Seguiu-se a este cenário o surgimento de livros, jogos, video games, desenhos animados, palestras, encontros entre o elenco e o público, participações em eventos nerds, Comic-Con, etc., todos atrelados na trama principal. Os Internautas então fizeram o crescimento do público sobre o seriados, dando aos fãs uma maneira de compartilhar sua paixão e espalhar a palavra. Com elenco de primeira liderados por Richard Dean Anderson (ex MacGyver), que chegou até a ser produtor de parte da série, o público de fanáticos se mantêm ativo, não tanto no Brasil, mas em vários países.

O filme que deu início a tudo tem sua estrada iniciada em 1928 em Guizé, Egito, onde uma tumba gigantesca é descoberta. Dentro se encontra um grande anel metálico e um amuleto com inscrições e o símbolo do deus Rá que a filha do arqueólogo-chefe, Catherine Langford, pega para si.

Nos dias atuais, o egiptólogo Daniel Jackson participa de um simpósio, onde defende suas teorias sobre a Grande Pirâmide de Gizé, de que a mesma não poderia ter sido construída na Quarta dinastia dos faraós egípcios, que é a versão aceita oficialmente. Ridicularizado e posto de lado pelos seus colegas cientistas, e deixado para trás no meio de sua apresentação, ele se retira desconsolado, até que, Catherine Langford agora adulta e estudiosa da herança de seu pai, o convida a participar das traduções de antigos hieroglifos para a Força Aérea dos Estados Unidos.

O grande anel encontrado no Egito dentro da montanha Cheyenne estabelecendo conexões com distantes planetas. O uso e o entendimento dele só foi possível com a tradução feita pelo egiptólogo Daniel Jackson.

Jackson é trazido para uma instalação militar no Colorado (montanha Cheyenne), para tratar do que um coronel aposentado, Jonathan “Jack” O’Neill, revela serem informações secretas. Corrigindo a tradução já efetuada e inspecionando uma pedra encontrada no sítio arqueológico, Jackson conclui que os hieróglifos falavam de um “portal para as estrelas” (Stargate), com alguns símbolos similares a constelações servindo de coordenadas para viagens a um ponto no espaço.

Os militares então revelam a Jackson o “Stargate” em si, o portal metálico encontrado em Gizé. Pesquisadores conseguiram fazer o anel ser controlado por um complexo sistema de computadores, e após alinhar os símbolos do Stargate com as travas em seu exterior seguindo a sequência encontrada por Jackson, ativam um “buraco de minhoca” (wormhole) conectado com outro planeta a anos luz da Terra. O’Neill lidera uma missão de reconhecimento para a travessia, com Jackson, chegando em um planeta desértico (mais tarde batizado como Abydos) com uma gigantesca pirâmide, iguais as nossas e a partir daí Jackson tem a missão de descobrir a sequência de coordenadas para voltar para Terra.


Uma das chamadas da série Stargate SG1 elaborada pela MGM


Esta é a sequência de eventos para a filme e para as series de viagens interplanetárias, onde em cada ponto atingido há o desenvolvimento de alguma aventura, nem sempre encontrando civilizações ou sociedades amistosas.

A riqueza dos cenários, dos efeitos especiais, e das próprias histórias de cada aventura construíram um grande público, a ponto de ainda a MGM manter os sites oficiais das franquias e explorar seu “Shore Marketing”. Idealizada pelos produtores Brad Wright and Jonathan Glassner  da MGM, as séries tiveram também a contribuição da Força aérea dos Estados Unidos e estúdios no Canadá. 

Inúmeros sites, dentro e fora das redes sociais ainda contribuem para manter os fans da saga. Jogos criados com a temática surgem e ainda aumentam o cult.


Os dispositivos móveis também não escaparam de ter games com a temática da série. 


Logo após o filme que gerou as séries, um pinball foi lançado com a temática

Em 2014 um alvoroço tomou conta dos fans da saga com a notícia de que a Warner Bros  e a MGM iriam desenvolver uma nova trilogia baseada no filme de ficção científica de 1994. O co-roteirista e diretor do filme original, Roland Emmerich, iria dirigir essa nova trilogia, com a produção de Dean Devlin.

Mas mesmo sabendo que o Stargate de 1994 tenha arrecadado 200 milhões de dólares no mundo todo, o próprio Dean Devlin acabou recuando tempos depois e a empolgação dos fans foi substituída por uma grande frustação. Os fracassos épico do remake de ‘Ben-Hur‘  e da sequência de Independence Day fizeram os executivos de Hollywood perceberam que o público estava estafado com novas versões de clássicos. O processo foi arquivado e os fans vivem agora a esperança de que um dia possam reavê-los. Por enquanto alguns canais por assinatura como a MGM, SciFi, Fox costumam fazer a exibição.


A saga Stargate:



O fanatismo pela saga, fez até o Musée royal de Mariemont da Bélgica criar uma réplica em tamanho real do Stargate usando impressoras 3D. Veja acima.
 

Links relacionados: