Posts tagged Dachshund

Um recanto de alegria…

3

Não há como contestar que cães são grandes companheiros e amigos em nossa sociedade. Dentro deles os da raça Dachshund são certamente um dos mais populares, encantando as pessoas que os possuem.

Para muitos, eles são uma paixão, um filho e eles retribuem dando alegrias a todos que com eles tem a oportunidade de conviver. Não faltam exemplos desta convivência sendo expostos no mundo, através das redes, de famílias exibindo-os em seu cotidiano, nas exposições de kennel clubs, nos livros de histórias infantis, etc.

Localizado próximo ao centro de Serra Negra, SP, está um paraíso desses cães, o Recanto dos Salsichas, mantido por um idealizador apaixonado pelos “salsichinhas” que possui dezenas deles em um ambiente confortável e tratados como uma grande família.

Vende filhotes da raça, afinal é preciso algum ganho para manter a enorme família. Mas se pensam que é um Canil daqueles tradicionais, com confinamento dos cães e reprodução em massa, se enganam, pois no Recanto dos Salsichas eles vivem soltos numa área de 12.000 m², brincam a vontade, se integram aos visitantes que chegam na pequena pousada, fazem a alegria de todos que visitam o local e adoram crianças.

Possui amplo espaço com muitas casinhas (chamadas de apartamentos), tem patrocínio e apoio de uma grande produtora de alimentos pet e de muitos amigos também apreciadores da raça e do local, que colaboram para a manutenção do vibrante Recanto.

Seu idealizador e mantenedor, Paulo Cachorro, como ficou conhecido, tem na sua história de vida a justificativa para a existência deste ambiente de alegria:

Como ele próprio afirma em sua fan page e sites, ele não é dono de um Canil e também não tira seu sustento com a venda de seus cães, é apenas um apaixonado pela raça desde sua infância. Por volta de seus dez ou doze anos teve sua primeira dachshund, chamada de “Boneca” que viveu por muitos anos dando alegrias a sua família ensinado o que é o amor puro e verdadeiro incondicionalmente.
Depois de 40 anos, morando sozinho, sendo assediado por uma solidão sem fim, foi como diz, abençoado, quando num dia passando por uma loja observou uma gaiola cheia de filhotes de dachshund para venda.

Resolveu então entrar, e acabou entre todos escolhendo um negrinho de pernas curtas e tortas, com o peito quase encostado no chão, não resistindo, e como diz “foi paixão a primeira vista”. Então daquele momento em diante ele e o “ Kadu“ se tornaram almas gêmeas e inseparáveis.

Percebendo com o tempo que Kadu ficava triste quando saia trabalhar, resolveu arrumar-lhe uma companheira, a “Sarah Janne” uma figurinha. Certamente com o tempo vieram como ele considera, seus netos e netas, inclusive Zabelê, que hoje ainda viva foi mãe de lindos filhotes.
Com o aumento da população resolve mudar para uma casa com um grande quintal e tudo ia muito bem, só que vieram mais netos, a família crescia e as despesas também confrontando-se com seu salário de funcionário público dificultando a manutenção da “galera baixinha” com tudo que mereciam de bom.

Teve que projetar um novo rumo para sua vida e da sua família de salsichinhas, decidindo morar em uma chácara com bastante espaço, conforto e lazer para eles e ele próprio. Seu raciocínio era que eles iriam ajudar nas despesas, com a venda de filhotes.

Claro que o início desta nova fase foi sofrida pois viriam doenças ruins, cirurgias de cesáreas, momentos de muito sofrimento para todos. Mas, as dificuldades teriam que ser superadas, pois não havia como parar, já que eram muitas vidas que dependiam dele e não havia como retroceder do amor incondicional que todos seus “salsichinhas” proporcionavam.
Como ele afirma, não desanimou, continuou seu projeto, ora sofrendo, ora chorando, sorrindo, tropeçando, levantando, aprendendo e hoje são uma família perfeita: “Eu , meu amigo Hélio, e nossos filhos e netos, somos a família mais feliz do Universo, temos tudo que precisamos, espaço e união”.

Numa área aproximada de 12.000 m², os salsichinhas, vivem, divertem-se e encantam a todos.

Por conta do saudoso Orkut, acabou conhecido no Brasil e no exterior, como Paulo Cachorro, mas também como Paulo Campinas, no Facebook, onde mantem uma FanPage expondo fotos e vídeos de sua grande família em perfeita harmonia com o ambiente que vivem, com as pessoas locais e visitantes. Vale ressaltar que os visitantes podem vir com seus Dashunds ou outros cães de pequeno porte como este blogueiro pode testemunhar e registrar nos vídeos desta postagem. Alguns dos visitantes são também possuidores de cães adquiridos alí.


O cotidiano do Recanto dos Salsichas de Serra Negra, canil da raça Dachshund, um local de lazer com uma hospedagem para visitantes e seus cães da raça e de outros pequenos.(Parte 1)


Outro ponto importante é que quando vende um filhote procura se assegurar das condições que ele viverá no futuro lar e também mantêm contato com os compradores durante algum tempo, trocando mensagens e mídias para observar o crescimento do “salsichinha” que saiu do Recanto.

Tem milhares de seguidores amantes da raça nas redes, onde expõe a rotina e dinâmica da “cachorrada” interagindo com tudo em sua volta.
Com este histórico de perseverança e dedicação, toda a família Dachshund é premiada com a existência deste local na bela cidade Serra Negra.


O cotidiano do Recanto dos Salsichas de Serra Negra (Parte 2)


Este blogueiro esteve no Recanto por três dias junto com seu neto e filha e pode comprovar toda a dedicação e amor dado aos animais, que por sinal adoram visitantes como atestam as mídias acima…

A vitória de Obie…

1

A obesidade todos sabem tem se tornado um dos maiores flagelos de saúde no mundo, e vem se alastrando também entre os animais domesticados, influenciado é claro por seus donos e pela tentação de sabores que assola a sociedade moderna.

Um caso notável que figura na mídia desde 2012, é do dachshund (Cofap, salsicha) chamado Obie.

O ponto de máxima obesidade de Obie

O ponto de máxima obesidade de Obie

A história do dócil cãozinho que pesava 35 kg e atualmente pesa 12 kg é hoje referência no tratamento de animais acima do peso. Com a obesidade, Obie já não conseguia mais andar, brincar, e precisou fazer tratamento durante 1 ano para perder 23 kg e chegar ao padrão Standard desta raça.

Por ser um Dachshund e devido as pernas curtas, comuns à raça, ele precisava usar um colete para não machucar mais o peito (já cheio de abcessos e calos) com o atrito entre o chão e a pele quando se arrastava. Veja a situação em Agosto de 2012:

Ele foi considerado o cão mais gordo do mundo. Chegou ao peso de 35kg, mais que o dobro do tamanho normal para animais deste tipo, morava com seus donos idosos no Oregon, EUA. Mas os velhinhos, que ficavam com dó do olhar pidão de Obie lhe davam muita comida e cada vez menos exercícios, até que perceberam que estavam fazendo mal para a saúde do cão e o doaram em meados de Agosto de 2012. Em meio às lágrimas eles assumiram a incapacidade de tomar conta do animal que ganhava mais peso a cada dia.

Quem o adotou foi uma moradora de Portland Nora Vanetta, uma veterinária, e já proprietária de dois cachorros (um labrador de 9 anos e um dachshund, 5 anos – este com peso normal) uma amante dos animais, que assumiu o bichinho e decidiu aplicar um regime rigoroso em Obie, para que ele perdesse peso numa primeira etapa para recuperar a saúde e sua mobilidade. Dizia ela na ocasião ao “The Sun”: “Minha esperança é que ele possa ser uma inspiração para qualquer pessoa ou animal que tente perder peso”.

Ela soube desenvolver um plano que envolveu basicamente dieta e exercícios, sempre considerando suas possibilidades corporais do momento.

Depois de passar por uma bateria de exames, a saga da dieta se iniciou. Em meio a esteiras, natação e refeições reduzidas, Nora também começou uma campanha na internet para arrecadar fundos pela luta de Obie. Ela conseguiu montar um plano para o cachorro perder peso, mas também foi acusada de explorar a imagem do animal, correndo o risco de perder a guarda do cão, num processo que foi encerrado em Janeiro de 2013, dando a ela então a posse definitiva do cãozinho.

Obie numa das sessões de esteira
Além de parecer em vários canais da mídia, Nora criou uma página, a “Biggest Loser, Doxie Edition” no facebook onde registrava avanços na dieta e outras conquistas da saga do Obie. Por exemplo para cada quilo perdido era feito um registro vitorioso pela veterinária.

Com a conquista de um corpo novo e “normal”, o animal ficou com excesso de pele e foi preciso ser operado para a retirada das pelancas que ainda atrapalhavam sua movimentação e com isto conseguiu ainda 1,5 kg a menos.

Hoje, vive uma vida saudável com seus 12 quilinhos ao lado de sua dona e divide a casa harmoniosamente com os 2 outros cães, um da raça Dachshund e o outro da raça Labrador Retriever.

Obie vivendo uma vida normal com seus dois companheiros

Obie vivendo uma vida normal com seus dois companheiros

O site de Nora e de Obie, onde foi registrado toda sua saga tem milhares de seguidores e ambos já se tornaram uma “celebridade” nos Estados Unidos, depois de ter a história divulgada no país inteiro, pelos mais variados meios de comunicação.

Obie Antes e DepoisObie "antes e depois"

Obie “antes e depois”

Assunto sempre presente nas redes sociais, grupos de discussão, nos milhões de e-mails, o maltrato de animais é sempre a “bola da vez” e a situação em que Obie foi submetido inicialmente atingido 35 Kg certamente pode ser considerado um maltrato, não importa qual motivação emocional se dê. E por ele ainda ter sofrido pelo tratamento e pelas cirurgias, para corrigir sua situação de obesidade, ele é um herói mesmo, um vitorioso, junto com sua dona, que acreditou ser possível…..

Veja abaixo a saga toda reunida nas galerias:


Fontes:


Go to Top