Quem conhece ou já esteve em Campos do Jordão teve passagem pelo bairro da Abernéssia, mesmo que se dirigisse para o bairro turístico de Capivari ou a outras localidades da cidade.

A EFCJ tem várias paradas na cidade e apenas duas estações (Capivari e Abernéssia). Na estação de Abernéssia, é possível identificar traços de algumas construções de estações escocesas. Outros traços arquitetônicos escoceses e ingleses são observados em poucas construções antigas que resistiram a transformações da cidade para modelos suiços e germanos.

A EFCJ tem várias paradas na cidade e apenas duas estações (Capivari e Abernéssia). Na estação de Abernéssia, é possível identificar traços de algumas construções de estações escocesas. Outros traços arquitetônicos escoceses e ingleses são observados em poucas construções antigas que resistiram a transformações da cidade para modelos suiços, normandos e germanicos.

Abernéssia é um dos três núcleos que formaram a cidade de Campos do Jordão, sendo que o primeiro foi Jaguaribe onde praticamente foi fundada a cidade, depois a Vila Capivari e finalmente Abernéssia o bairro de entrada da cidade logo após passar pelo portal receptivo vindo pela SP 123 ou pela antiga SP50.

Está também na Abernéssia a igreja Matriz da cidade. A paróquia recebeu o nome da santa francesa devido a mesma ter falecido aos 24 anos de tuberculose doença da qual a cidade foi referência na época da cura. Segundo historiadores a santa era sempre lembrada nas orações pelos doentes nos anos de cura e também na era do turismo, Com isto Santa Teresinha foi naturalmente escolhida como a padroeira de Campos do Jordão e de sua principal paróquia no bairro de Reid

Está também na Abernéssia a igreja Matriz da cidade. A paróquia recebeu o nome da santa francesa devido a mesma ter falecido aos 24 anos de tuberculose doença da qual a cidade foi referência na época da cura. Segundo historiadores a santa era sempre lembrada nas orações pelos doentes nos anos de cura e também na era do turismo, Com isto Santa Teresinha foi naturalmente escolhida como a padroeira de Campos do Jordão e de sua principal paróquia no bairro de Reid

Abernéssia é a sede administrativa de Campos do Jordão, pois lá estão a Prefeitura e suas secretarias e autarquias, a Câmara Municipal, o Forum, Mercado Municipal , agências dos principais Bancos, comércio popular e especializado e as principais lojas e mercados.

Na sequência quando se chega a cidade, passa-se pela Abernéssia, Jaguaribe e Capivari. Os três núcleos foram fundamentais na fase de cura da cidade, quando lá se tratavam turberculosos e de outras doenças respiratórias.

Abernéssia contudo foi outrora conhecida como o bairro escocês da cidade, pois foi fundada por um escocês de nome Robert John Reid, engenheiro, agrimensor, um dos pioneiros e exploradores do local, responsável entre outros projetos das duas pequenas usinas hidrelétricas da cidade na recém criada Prefeitura Sanitária de Campos do Jordão. Reid junto com os sanitaristas Emílio Ribas, Victor Godinho e Sebastião Damas (português empreiteiro responsável pela construção da EFCJ) lutou para a construção da E. F. Campos do Jordão e depois se empenhou para que ela não fosse desativada.

Reid era um benfeitor pois quando as pessoas lhe pediam doação de terras e ele ia ao cartório assinar as escrituras de doação. Foi a construção da primeira Usina elétrica de Campos do Jordão que lhe trouxe uma ruína financeira.

Formado em engenharia na Universidade de Oxford, na Inglaterra, chegou pelas terras brasileiras em 1896 e teve antes de Campos do Jordão passagem por outras cidades paulistas projetando as ruas das cidades de Olímpia e Pirajuí e depois como funcionário da Companhia Paulista de Estradas de Ferro.

Foi indicado pela firma francesa Casa Nathan, que virou Societé Francière et Comerciale Franco-Brasiliene para ser o agrimensor na ação de divisão da Fazenda Natal, que mais tarde foi transformada na Estância de Campos do Jordão, em processo que transitava em São Bento do Sapucaí, do qual Campos do Jordão era distrito.

O escôces benfeitor Robert John Reid

O escocês benfeitor Robert John Reid

Sua chegada a cidade não foi diferente dos demais aventureiros, bandeirantes, exploradores, pois chegou em lombo de burro, hospedando-se no Hotel Imbiri, na antiga Vila Velha (hoje Vila Jaguaribe) com o contrato de demarcar 800 hectares de terra. Como a Casa Nathan quebrou financeiramente, pagou Roberto John Reid com quase a metade dessas terras, quase todas na localidade onde seria o bairro de Abernéssia.

De homem rico morreu pobre e como morto passou por um constrangimento em seu sepultamento, pois na hora de descer o caixão à sepultura, ele não coube, pois a cova aberta no cemitério local era menor do que o caixão.

Assim foi preciso serrar um pedaço caixão para que ele descesse os sete palmos da sepultura. E, comovido, um amigo afirmou entre lágrimas: “ Um homem que doou tantas terras para o povo de Campos do Jordão, na hora de ser sepultado, faltou-lhe um pedacinho de terra!”

Enquanto é uma tradição nomear ruas, logradouros diversos, bairros e cidades com nome de personalidades, datas históricas, nomes indígenas, etc. Reid nomeou sua “vila” de uma maneira muito sutil:

O nome foi criado usando os nomes ABERDEEN, INVERNESS e ESCÓCIA. ABERDEEN é a cidade onde nasceu. Seu pai havia nascido em INVERNESS, portanto ambas na ESCÓCIA . Portanto Reid retirou a primeira sílaba do nome da primeira ABER e a esta anexou a última sílaba do nome da segunda, NESS o que resultou em ABERNESS. Antes de concluir o nome, acrescentou  sufixo IA de ESCÓCIA, sua terra natal. Assim a Vila Nova, como muitos a chamaram durante vários anos, ficou como Vila ABERNÉSSIA (ABER + NESS + IA).

Reconhecidamente uma pessoa ilustre e importante de Campos do Jordão Reid por vezes recebeu homenagens na cidade tal como a de 20 de abril de 2013, como parte das comemorações do 139º Aniversário da Cidade de Campos do Jordão com a apresentação e show gratuito da Banda “St. Andrew Society of São Paulo Pipes & Drums – SASPD”  que, com o título de “Aberdeen a Abernéssia”, fez linda homenagem à origem do Bairro “Vila Abernéssia” e ao seu fundador, o Escocês jordanense Dr. Robert John Reid.

A Banda de gaita de fole “St. Andrews Society of São Paulo Pipes & Drums – SASPD”, liderada pelo escocês Colin Pritchard, apresentou-se pela primeira vez na cidade. Ela está associada a uma comunidade de escoceses e descendentes que se prezam a manter viva a tradição e costumes da terra mãe. Devidamente paramentados com seus kilts e gaitas de fole, apresentaram repertório de músicas tradicionais escocesas, incluindo o Hino da Escócia e de músicas brasileiras, como Asa Branca, de Luiz Gonzaga.



Bibliografia/Fontes:

  • Andrade, Condelac Chaves de – Almanaque Histórico de Campos do Jordão, Artes Gráficas São Paulo S.A, São Paulo– 1948
  • Filho, Pedro Paulo – História da Estrada de Ferro Campos do Jordão, Editora Noovha America, São Paulo – 2007
  • Kühl, Julio Cesar Assis – Abernéssia e Fojo:Hidrelétricas de Campos do Jordão, CESP – São Paulo,1992
  • Svevo, Celia e Nedopetalski, Sandra – O Toriba na Cultura de Campos do Jordão, METALIVROS – São Paulo, 2007

abernessia

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • Google Plus