A maquete do projeto

A Professora e antropóloga Ruth Cardoso, recebeu mais uma grande homenagem, nomeando o orquidário do Parque Villa Lobos, quando ele foi inaugurado em Dezembro de 2010, homenagem patrocinada pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente de SP. Este orquidário veio a se juntar aos outros que existem em SP

Na ocasião o então governador Alberto Goldman ficou admirado: “De todas as homenagens à Ruth que já participei, essa é a que mais simboliza a Ruth Cardoso”, contou. “O orquidário é magnífico, não há outro igual”, afirmou Xico Graziano.

O Orquidário tem exposição permanente de orquídeas doadas pelo Instituto de Botânica de São Paulo, que possui mais de 16 mil vasos de espécies coletadas em todo o Estado de São Paulo, além de doações de associações e outras entidades interessadas em colaborar.

O espaço de 523 m2, com um espelho d’água em volta, é a nova sede das oficinas de orquídeas e oferece informações para os visitantes sobre os cuidados que devem ter com a planta.

O diretor do Parque Villa-Lobos na ocasião, Roberto Rosa, explicou sobre a gestão participativa com o Instituto de Botânica. que resulta em exposição fixa e outras temporárias, com orquídeas de associações de orquidófilos, como o Círculo Paulista de Orquidófilos.

A obra assinada pelo arquiteto Decio Tozzi, teve um custo aproximado de R$ 2,5 milhões e foi executada totalmente em pouco mais de cinco meses. O volume esférico, que lembra uma oca, foi uma homenagem do autor a alguns grupos étnicos estudados por Ruth, como tribos africanas e indígenas brasileiras, além dos grupos pré-colombianos.

O conjunto compreende um domo formado por duas seções de esfera de raios diferentes, unidas por um arco mestre de concreto moldado in loco, a principal peça estrutural da composição. As duas metades da cúpula são verticalmente desalinhadas – uma se liga ao topo do arco, e a outra à sua base. O arco de concreto possui aberturas regulares que atuam na ventilação da obra e justificam o desnivelamento das seções esféricas. A corrente de ar entra por um vão na base da estrutura de polietileno que cobre o orquidário e sai pelas aberturas no arco central, por aspiração. Esta técnica é empregada em ocas de índios brasileiros.

Dos grupos pré-colombianos, Decio Tozzi adaptou a técnica de enterramento da edificação, para proteger o seu interior das rajadas de vento. A parede da construção tem 3 m de altura – 1,5 m abaixo e 1,5 m acima do nível do solo do terreno. Das culturas africanas, a arquitetura tomou emprestado o conceito da abertura zenital, que transforma a intensa iluminação externa em luz difusa no interior da edificação.

A cúpula tem 12 m de altura no seu ponto mais alto, o que, segundo Tozzi, auxilia na defesa contra o efeito estufa, criando uma espessa camada de ar acima das plantas e abaixo da cobertura. O arquiteto afirmou que a altura comum em orquidários chega a, no máximo, 7 m. No orquidário há dois espelhos d’água – um interno, no centro, que auxilia no controle da umidade ambiente, e outro externo, que circunda a estrutura.

Para proporcionar leveza à estrutura do domo, o vidro e a pele de polietileno são estruturados com treliças metálicas de seção triangular pintadas de branco. O acesso é feito por rampas e, no interior, além do orquidário, o programa contempla laboratórios para o trato das plantas, salas de aula para ensinar o cultivo da flor, além dos sanitários públicos e de serviço. Por trás das prateleiras, espelhos possibilitam a visão completa das orquídeas.
Logo na entrada do Orquidário, os visitantes podem observar o painel com a biografia de Ruth Cardoso e fotos de diversas fases da vida da antropóloga. Em outro painel mostra o desenho do projeto do arquiteto Décio Tozzi e um poema escrito por Xico Graziano.

Alem disto, os visitantes podem conhecer a espécie de orquídea híbrida que recebeu o nome da professora. A Rhynchosophrocattleya Ruth Cardoso que foi desenvolvida pelo biólogo César Wenzel, do Orquidário Rioclarense, e encomendada pelo professor de direito penal e admirador de orquídeas, Damásio de Jesus. A flor de tom vibrante, amarela com pequeno detalhe em vermelho, transmite a delicadeza de Ruth Cardoso.

Rhynchosophrocattleya Ruth Cardoso

Quando da inauguração o secretário Pedro Ubiratan ressaltou a dedicação de todos que trabalharam para concretizar a homenagem. “Para nós é uma satisfação. Todo mundo que trabalhou nesse orquidário o fez com muito empenho, principalmente por ser uma homenagem à D. Ruth Cardoso. Ele vai sempre vivificar a memória dessa grande brasileira que sempre fez tanto pela nossa sociedade, principalmente pelos mais carentes”

Veja a seguir algumas fotos do local:

No video abaixo é possível ver a dinâmica de conteúdo e funcionamento do local:


Para os interessados o Orquidário Professora Ruth Cardoso fica no Parque Villa-Lobos, na Avenida Professor Fonseca Rodrigues, 2001 em São Paulo (Mapa)


Links Relacionados:

Parque Villa Lobos

Décio Tozzi

Centro Cultural da Juventude

Centro Ruth Cardoso


Imagens © Decio Tozzi


Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • Google Plus