Que tal uma escola com 10 milhões de alunos, gratuita, cujo “quadro negro” são os vídeos do Youtube, com aulas e exercícios explicativos nas áreas de Matemática, Física, Biologia, Química, Ciências da Computação, Humanidades, Finanças e Economia, alguns testes preparatórios, etc.

E o público deste conteúdo todo vai do ensino fundamental ao ensino médio, para pessoas de terceira idade, para professores, pré-vestibulandos e até aqueles que se esqueceram e querem dar uma arejada no conhecimento! Vale para criancinhas até senhores de 50, 60 anos, que em seu conforto residencial pode com um computador e as conexões de praxe simplesmente estudar, relembrar, se aperfeiçoar, dependendo apenas de iniciativa e persistência em educar-se.

Pois esta escola existe mesmo, e apoia-se no dogma “prover educação de qualidade para qualquer um em qualquer lugar”.

O nome desta instituição é Khan Academy, organização criada por Salman Khan, de 34 anos. O site/Portal tem exercícios que permitem testar o entendimento de cada lição, o que permite o acompanhamento do progresso usando métricas muito inteligentes. Os professores, comumente conhecidos como “treinadores”, monitoram o progresso dos alunos em grupos. Os estudantes, por sua vez, recebem crachás indicativos de mérito, como forma de mantê-los motivados, e tudo isso gratuitamente.

Sal Khan, como é conhecido é natural de Bangladesh, e inspirou-se num projeto da academia enquanto servia de tutor para seus primos e sobrinhos menores. A partir disto resolveu se preparar mais, desenvolvendo ferramentas de software para facilitar o ensino e expandir o aprendizado. Sal é formado em Matemática, Ciências da Computação e engenharia elétrica pelo MIT e MBA em Harvard. Largou o emprego em um fundo de investimentos para se dedicar exclusivamente a seu projeto educacional.

Sua meta é oferecer conhecimento de nível elevado sobre absolutamente tudo e de graça, diz ele nas dezenas de entrevistas que dá.

O projeto de Sal Khan é genial e porque não dizer simples. Ele segmenta o conhecimento em pequenas lições em vídeo com no máximo 12 minutos o que leva o conhecimento de maneira fluida e agradável para os estudantes de qualquer lugar do planeta onde exista conectividade à internet. È com certeza uma revolução de ensino e educação.

Incrivelmente a sede destes milhões de alunos é um local apertado de um conjunto de salas comunitárias de um edifício decadente da década de 1960, próximo a uma estrada de ferro em Mountain View na California, que fica a aproximadamente 5 km da sede da Google..

Apesar destas instalações modestas e rústicas existe alí um espírito jovem e de grande otimismo da Khan Academy. Possui aproximadamente 37 funcionários, na grande maioria desenvolvedores de software, por passagem em grandes empresas do vale do silício, como google, Facebook, entre outras.

O impacto de suas idéias e métodos foi tal, que conseguiu gordas doações para seu projeto. O primeiro investidor foi a Google, que injetou US$ 2 milhões no projeto. Vieram depois as da Gates Foundation com 1.5 milhão de dolares.

Sal Khan com Bill Gates um de seus doadores financeiros e apoiadores no projeto educacional.

A Khan Academy já tem milhões de visitas, aproximadamente 3.000 videos em varias áreas que já foram vistos mais de 125 milhões de vezes, com milhares de usuários utilizando o software que é baixado gratuitamente. Aliás, a excelente ferramenta Chartbeat ilustra claramente o sucesso do site, monitorando sua atividade em tempo real.

 

Evidentemente algumas matérias não podem ser ensinadas apenas online com conteúdo pronto, por exemplo, redação. Contudo é possível visualizar um futuro em que qualquer aluno possa ter acesso a conhecimento em seu próprio idioma e com seu próprio ritmo de aprendizado, pagando apenas o seu acesso à internet. Será então uma revolução, que certamente já começou.

Pensando nisto e considerando que a língua oficial da Khan Academy é o inglês, é que desde o final de 2011, a Fundação Lemann, em parceria com o Instituto Natura e o Instituto Península está traduzindo e disponibilizando os vídeos da Khan Academy para o português. As três instituições também estão levando a Khan Academy para as escolas, começando com mais de 1.200 alunos de escolas públicas de São Paulo.

Projeto semelhante, denominado Qmágica é elaborado e coordenado por alunos do ITA em SJ dos Campos. Em breve também além de traduzir os vídeos da Khan Acadeny, vídeos nacionais serão criados, sobretudo dentro de temas específicos de nosso país, como geografia, história, literatura, etc..

A revolução educacional está posta, e a única similaridade com o método tradicional refere-se a atitudes comportamentais, como iniciativa, persistência e disciplina.

Por tanto aqui vão os links: cadastre-se (“ou matricule-se”) e viva a nova onda da educação, graças a Salman Khan:

Links de apoio e relacionados:


 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • Google Plus