Muitos daqueles que viveram os anos 60, certamente se lembram de um filme chamado “Deu a louca no mundo” (It’s a Mad Mad Mad Mad World). Lançado em 1963, ganhou o Oscar em 1964 e divertiu praticamente todos nos anos 60.

Resumidamente o filme retrata que após deixar a prisão, Smiler Grogan (Jimmy Durante) vai atrás dos US$ 350 mil que roubou de um banco 15 anos antes.

Claro que sua primeira missão após a liberdade é colocar as mãos na grana, mas quando está prestes a isto ele sofre um acidente e cai com seu carro em um precipício. Antes de morrer, porém, ele dá uma pista às pessoas que tentaram ajudá-lo sobre onde escondeu a fortuna. Como eles não chegam a um acordo sobre como dividir a fortuna, tem início uma louca corrida ao tesouro, e todos tem em mente como informado que o local onde está enterrado o tesouro existe uma letra “W”.

O grupo de aventureiros demoraram para entender que o “W” era formado pelas palmeiras.

O grupo de aventureiros demorou para entender que o “W” era formado pelas palmeiras.

O filme de quase 3 horas retrata uma busca neurótica, levando todos os “interessados” a se envolverem num enredo tragicômico até chegar ao local indicado.

O alto da Boa Vista ou Lomba Larga como era conhecido foi o cenário dos três pinheiros e o famoso tesouro.

O alto da Boa Vista ou Lomba Larga como era conhecido foi o cenário dos três pinheiros e o famoso tesouro.

Tendo esta lembrança, saibam que aproximadamente um século antes do lançamento deste filme um fato parecido aconteceu numa cidade brasileira, Campos do Jordão.

Considerada a principal lenda jordanense, é chamada Lenda dos Três Pinheiros, conforme o historiador da cidade Pedro Paulo Filho (In Memoriam).

“Conta que Ignácio Caetano Vieira de Carvalho, primeiro morador da cidade, muito sovina, amealhou muita riqueza no Alto da Mantiqueira, com a exploração de sua fazenda, conhecida como Fazenda Bom Sucesso.

Já velho, juntou todo o tesouro que amealhara, de ouro em pó e amoedado, colocou-o dentro de barricas presas ao lombo de burros e partiu com um escravo secretamente, para os lados de uma localidade chamada Lomba Larga (hoje Alto da Boa Vista, um dos bairros mais bonitos da cidade.

Aproximadamente no centro geométrico entre três pinheiros, mandou o escravo abrir uma cova, onde depositou as barricas de ouro. Sepultado o tesouro, matou o escravo para perpetuar o segredo, retornando à sede da fazenda.

Reza ainda a lenda que depois de morto, Ignácio Caetano costumava aparecer no local, vestido de negro, montado em um cavalo retinto, gritando moído de remorso: “Lomba Larga, Três Pinheiros, Onde estão meus dinheiros?”

Os campeiros da época ficavam assustados com o “fantasma” e o mesmo acontecendo com as redondezas do local”.

Décadas mais tarde, era comum ver pessoas cavando a terra já pelo bairro do Alto da Boa Vista, no centro de alguns tríplices pinheiros, em busca do tesouro de Ignácio Caetano, que, alguns denominaram de Lenda de Ignácio Caetano ou “Tesouro do Jordão”. (Essa história é erroneamente atribuída ao brigadeiro Manoel Rodrigues Jordão que embora dê nome a cidade nunca chegou a pôr os pés por lá, tendo apenas comprado e arrendado suas terras. Mas também acabou tendo seu nome ligado a lenda).

Ilustração do "enterro" do tesouro. Fonte da imagem: Campos do Jordão Cultura

Ilustração do “enterro” do tesouro. Fonte da imagem: Campos do Jordão Cultura

Apesar de centenas de pessoas, infrutiferamente, escavarem e procurarem o tesouro por muitos anos ficou evidente que a busca se tornara frustrante para os vários aventureiros que para lá se dirigiram, pois a natureza se encarregou de transformar o local numa floresta de araucárias e de vegetação diversa, ou seja onde no passado havia três pinheiros, alguns anos depois, transformou-se num imenso pinheiral.

Diferente do filme de 1963, onde de fato os aventureiros acham o tesouro, mas o perdem por encenarem brigas, esperteza e ganancia, a lenda dos 3 pinheiros produziu um fato concreto em Campos de Jordão: a história se encarregou de tomar para si a localização dos três pinheiros. Em 1959 os três pinheiros foram parar na bandeira e no brasão oficial de Campos do Jordão.

O brasão de Campos do Jordão, criado pelo heraldista Salvador Thaumaturgo e homologado pela lei municipal nº 251, de 1 de janeiro de 1959 levou os 3 pinheiros para seu interior pela influência da história ou lenda de Ignácio Caetano.


 

O brasão e a bandeira capturando os 3 pinheiros famosos.

O brasão e a bandeira capturando os 3 pinheiros famosos.


 

A lenda ou a história tem tanta importância para a cidade que é parte integrante da educação infantil, conforme mostra este trabalho de teatro de fantoche.


Fonte:

  • Historiador Pedro Paulo Filho (In Memoriam)

3pinheiros

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • Google Plus