Um antigo compacto de vinil de lançamento de "Satisfaction".

Um antigo compacto de vinil de lançamento de “Satisfaction”.

Neste mês, um dos hinos dos Rolling Stones, “I can´t get no, Satisfaction” comemora 50 anos. Para variar o hit tem suas curiosidades, já que a versão original foi posto em fita em Chess junto com algum outro material durante umas 17 horas que começou ao meio-dia de uma segunda-feira, 10 de maio de 1965 e só foi terminar no dia seguinte no momento em que os Stones voavam para Los Angeles.

Exatamente às 10:00, na manhã de quarta-feira 12 de maio de 1965, os Stones reunidos nos estúdios da RCA em Hollywood iniciaram não só gravação de “I can´t get no, Satisfaction“, mas também faixas para a versão dos EUA do álbum “Out of Our Heads” e ainda algumas tracks para compor o lado B dos tradicionais “bolachões” (disco de vinil).

Na quinta-feira, 13 de maio por volta de 02h30 o engenheiro e produtor Hassinger e Oldham estavam nos estúdios da RCA para a edições e agrupamento das faixas e as 1 da manhã os Stones ainda foram envolvidos em mais nove horas de sessões.

Jagger e Richard ainda ficaram mais um pouco para acertos e vocais, antes de partirem já no dia 14 para São Francisco para um show no Civic Auditorium, que ocorreria no sábado (15). Desde daqueles os Stones sempre trabalharam muito bem sob pressão!


Uma das execuções da canção logo após sua criação em 1965


Mick Jagger durante a gravação de "I can´t get no, Satisfaction" nos estudios da RCA em Los Angeles, em 12 de maio de 1965.

Mick Jagger durante a gravação de “I can´t get no, Satisfaction” nos estudios da RCA em Los Angeles, em 12 de maio de 1965.

 

I can´t get no, Satisfaction” é uma daquelas canções “underground” ou de “contra cultura” que predominava naqueles anos 60.

Segundo conta Keith Richards teve a inspiração para o riff num quarto de hotel em 1965. Gravou uma versão crua e caiu no sono. No dia seguinte, a gravação tinha dois minutos de violão e “quarenta minutos do meu ronco”, dizia… Aparentemente também, Richard havia acabado de adquirir um “fuzz-box” para sua guitarra Gibson e decidiu testá-lo em “I can´t get no, Satisfaction”.

O que se seguiu foi o sucesso da canção e se tornou hit obrigatório em todas as turnês que se seguiram.

Anos mais tarde precisamente em 1975, e aos 31 anos, Jagger disse à revista “People”: “Prefiro estar morto a cantar ‘Satisfaction’ com 45 anos”; Como se diz no popular “teve que morder a língua” pois hoje aos 72 anos (em julho próximo), segue cantando e tocando em todos os shows que promovem, pondo a platéia num frenético ritual do rock.


Uma execução recente de “Satisfaction” no tradicional e renomado festival Glastonbury em 20 de junho de 2013 que teve como convidado um antigo guitarrista dos Stones, Mick Taylor


Uma canção despretensiosa, rebelde em certos momentos, que teve seu lançamento primeiro nos Estados Unidos em maio de 1965 e em Agosto do mesmo ano na Inglaterra.

Em 2004, a tradicional revista “Rolling Stone” elegeu a canção dos Stones como a segunda mais importante de todos os tempos, sendo superada apenas pelo clássico de Bob Dylan “Like a Rolling Stone”, que curiosamente foi gravada pelos Rolling Stones, tendo inclusive em suas turnês a presença de Bob Dylan para executá-la junto.

letra

Vida longa para “I can´t get no, Satisfaction !!!


Bibliografia/Fontes:

  • Carr, Roy – The Rolling Stones, An Illustrated record by – New English Library, London 1976

satisfation50

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • Google Plus