Um magnífico megaevento ocorreu em São Paulo entre os dias 31 de Maio e 3 de Junho, que foi o C40 São Paulo Summit, que não ganhou o espaço adequado na mídia local, pois esta imprensa nanica, mais interessada em noticiário apocalíptico do que em coisa boas, estava mais direcionada nos escândalos do Palocci, da FIFA e da Copa 2014. Ainda bem que a mídia internacional cumpriu sua parte em dar a relevância ao fato.

O C40 iniciou em Outubro de 2005, com a reunião de 18 prefeitos de cidades do mundo, em Londres, no sentido de envolver as grandes aglomerações no combate ao aquecimento global e alterações climáticas, realizarem ações e trocarem experiências sobre práticas que visem a redução de emissões, para então combater mais de frente as ações penosas ao clima e ao conforto de milhões de habitantes, que vivem em gigantescas aglomerações do planeta.

Em Agosto de 2006, um parceiro de peso também entrou para o grupo que foi a Clinton Climate Initiative , trazendo mais metas no tocante a aproveitamento de energia e reduções de emissões de carbono.

Isto tudo fundamentou o hoje chamado C40 Cities Climate Leadership Group, denominado simplesmente C40, que já tem em seu histórico numerosa coleção de melhores práticas no trato destas questões de emissões e qualidade de vida nas Metrópoles.

Isto é uma breve descrição do C40, e nos links indicados poderá ter um aprofundamento na questão, e o importante que quero destacar aqui, é que São Paulo reunia todas as características para ser escolhida e então sediar o quarto encontro mundial do C40.

Batizado de C40 São Paulo Summit*, este é o primeiro encontro da iniciativa que foi sediado em uma cidade da América Latina. O município foi eleito para ser sede desta edição do evento por conta das ações que está realizando com foco no combate às mudanças climáticas. Entre elas: a Política Municipal de Mudanças Climáticas, a implantação da inspeção veicular e a criação do programa de substituição de combustíveis fósseis por renováveis na frota de ônibus municipais, entre outras.

Bloomberg, Clinton, Kassab e Zoellick abrem o C40 São Paulo Summit

Vários  prefeitos  de grandes metrópoles do mundo estiveram no evento para debater o assunto. Os governantes de Buenos Aires, Sidney, Amsterdã e Copenhagen – além do prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, que atualmente preside o grupo de cidades participantes da C40. O evento contou com a participação de 16 prefeitos e representantes de outras 31 cidades de todo o planeta.

A programação da C40 São Paulo Summit teve plenárias e inúmeras sessões com debates de temas como construção sustentável, transporte público com baixa emissão de poluentes e taxação de impostos verdes, entre outras atividades, que acabaram se realizado pela cidade.

O resultado deste evento, foi extremamente positivo, pois ao contrário de outros eventos de tem o Meio ambiente como tema, não ficou só nos inúmeros discursos, no aparecimento na mídia dos “papas” do assunto, e na conjugação de ações na terceira pessoa, ou no futuro do pretérito.

A presença de Bill Clinton, dividiu com Michael Bloomberg – Prefeito de Nova Iorque e Gilberto Kassab, os holofotes do evento, por razões óbvias, que teve alguns momentos de ação e atitudes tremendamente positivas para a cidade, e para o meio ambiente como um todo.

De cara, na abertura da plenária no dia 1° de junho, o presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, anunciou a criação de linhas de financiamento para projetos ambientais. A ideia de Zoellick é facilitar o acesso das cidades aos recursos disponibilizados para investir em ações sustentáveis. Para firmar o compromisso, ele assinou um protocolo de intenções com Michael Bloomberg, atual presidente do C40 Large Cities Climate Summit, e certamente São Paulo vai se beneficiar disto também, dada a cruzada que Kassab assumiu nestas questões , enfrentando todo tipo de embate, que os “críticos” de plantão alicerçam.

Um dos pontos cruciais do encontro foi o fortalecimento da parceria realizada em 2004 entre a cidade de São Paulo e a capital da França. Kassab e a vice-prefeita de Paris, Anne Hidalgo, assinaram um termo de cooperação para ampliar o intercâmbio de experiências nos setores de Desenvolvimento Urbano, Cultura, Tratamento de Resíduos e Saneamento.

E também Michael Bloomberg e Gilberto Kassab, assinaram um acordo de cooperação bilateral com o compromisso de continuar com os esforços para fortalecer os laços entre as duas cidades, que têm muitas semelhanças em sua conjuntura urbana, e muitas ações praticadas em uma das cidades tem valido para a outra, como estamos vendo acontecer nestes últimos anos.

Michael Bloomberg, ainda, comparou São Paulo com Nova York, duas megacidades que “nunca dormem”. O prefeito americano também reforçou a parceria com a Fundação Clinton e afirmou que hoje, a instituição e a C40 são integradas. Bloomberg ainda fez uma provocação na abertura do evento a todos os presentes. “A pergunta é: o que estamos fazendo agora? Mas o mais importante é o que temos o poder de fazer”

Kassab, como anfitrião, certamente expôs todas suas ações, isoladas ou em parcerias, seja com o Governo Estadual, Federal, com a iniciativa privada, o que deve ter sido impactante na escolha da cidade para sediar tal megaevento.

De fato, os últimos governantes enfrentam de peito aberto os problemas ambientais, principalmente os causados por emissão de carbono, qualidade da energia, e reciclagens de todos tipo, mas as ultimas ações de Kassab, Serra e Alckimin, são mais intensas, senão vejamos:

A alternativa VLP já em operação chamada Expresso Tiradentes, onde na foto acima um dos terminais e na foto abaixo a pista elevada.


Como se pode perceber, há muitas ações, para diminuir a emissão de carbono, e há muitas ações ainda que podem ser realizadas, mas dependendo de atitudes, que certamente o C40 São Paulo Summit, irá contribuir.

Se livrar deste diesel porcaria, fornecido pela Petrobrás, já vai significar um enorme ganho, já que a adoção de outras matrizes pode reduzir em até 90% a emissão de carbono (caso do etanol).

Só nos resta torcer para nossos administradores não perderem o foco, e enfrentarem o que for necessário para que as ações e atitudes continuem, e os eventos sobre o Meio Ambiente, não sejam apenas um grande congraçamento de ideias que não saem do papel, como tantos que já aconteceram.

O C40 parece ser diferente, e tem contribuído muito no compartilhamento de soluções em todas as grandes metrópoles do mundo.

Mais detalhes do C40 podem ser vistos em:

http://www.c40cities.org/

http://www.c40saopaulosummit.com/site/conteudo/index.php

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • Google Plus