São Paulo nasceu em 1554, numa região chamada Campos de Piratininga, onde hoje situa-se o “centro velho” da cidade, lá se encontra o Pátio do Colégio, local de fundação de uma escola para índios criada pelos jesuítas Manoel da Nóbrega e José de Anchieta.

Manual da Nóbrega, que era devoto do apóstolo Paulo, escolheu o dia 25 de janeiro (data de aniversário desse santo) para fundar o povoado, denominado São Paulo de Piratininga, que em 1560 passou a ser uma vila, vindo a se tornar uma cidade pelos padrões da época em 1711.

Começa assim o nascimento de uma metrópole que tinha fibra quase neurótica de crescimento,que foi acelerado a partir do final do século 19, graças ao cultivo do café pelo Estado todo e pela industrialização da cidade e arredores (hoje conhecida como grande São Paulo).

Aglomerou por esta condição de crescimento rápido, trabalhadores e imigrantes de todos os lugares do mundo e do Brasil. Começou com uma tribo e recebeu tribos de todos os lugares.

Adquiriu vida própria, única no mundo, que avança apesar de seus problemas, dos políticos oportunistas, da mídia alienada a interesses que só a maltrata, mas mantêm seu ritmo atropelando tudo e a todos que se opõem as suas belezas, seu progresso, e seu dinamismo cultural e social.

Se pudéssemos trazer Anchieta e Nóbrega ao mundo dos vivos novamente , ele certamente ficaria muito surpreso com o que aconteceu depois daquele vilarejo de catequização de índios, mas entenderia que a cidade por ter vida própria, continua a exercer de maneira impetuosa a catequização de seus moradores e visitantes, e todos acabam aceitando e transformando a cidade no que ela é, representada por alguns fabulosos números:

numeros de spAlém destes, em seus 460 anos a grandiosidade é representada ainda por:

  • 1.769 estabelecimentos de saúde; 40 hospitais públicos e 61 particulares; 24.957 leitos hospitalares.
  • 6 milhões de automóveis; quase 16 mil ônibus; 28 terminais de ônibus; 5 linhas de metrô com 55 estações; 270 km de linhas de trem; 3 terminais rodoviários, mais de 90 mil ruas e avenidas.
  • 500 helicópteros; 44 empresas aéreas;
  • 26 universidades; 146 faculdades; 22 centros de educação tecnológica, 105 bibliotecas
  • 600 espetáculos teatrais em média por ano
  • 2 iate clubes; 12 clubes de golfe; 1000 academias de ginástica; 1 autódromo internacional e vários ginásios esportivos.
  • 3 mil padarias que produzem 10,4 milhões de pãezinhos por dia e 7,2 mil por minuto; 500 churrascarias; 250 restaurantes japoneses; 52 tipos de cozinhas; 1,5 mil pizzarias (1 milhão de pizzas por dia, 720 por minuto).
  • 2000 agências bancárias; 864 mil transações de cartão de crédito por dia; 59 ruas de comércio especializado; 4 mil farmácias, 5 mil pet shops e ainda 50.800 estabelecimentos industriais.
SP 460

Homenagem da VEJA São Paulo, com uma profética frase do empresário Antonio Ermírio de Morais, um dos ilustres da cidade.

Para aqueles que chegam pela primeira vez à grande metrópole, ela se faz “de difícil”, e pode parecer assustadoramente grande e dispensa a afeição imediata e inquestionável. Não se iluda porque é assim mesmo; ela quer ser conquistada com o suor do seu trabalho, dedicação e pela capacidade de amá-la.

Na verdade, é isso mesmo. Uma gigantesca mancha urbana multicolorida se apresenta entre as Serras do Mar e da Cantareira, que só quem chega pelos aeroportos de Cumbica e Congonhas, podem perceber e se assustar com sua dimensão.

A metrópole tem fome de expansão em todas as direções; pelo alto inúmeras gruas e guindastes “cutucam” as nuvens, no subsolo “tatuzões” cavam um gigantesco labirinto subterrâneo, para prover metrô, escoamento de água e esgotos, cabeamentos das mais diversas finalidades. No plano “térreo”, uma infinidade de obras, constantemente, afinal a cidade não tem data de inauguração marcada.

A volúpia da cidade quer avançar sobre a Serra do Mar, e anexar Santos, Guarujá, São Vicente e Itanhaém, e torná-las seus “bairros metropolitanos” como já faz com outros municípios que compõem a Grande SP. O mesmo ocorre no sentido norte, em direção a Jundiaí e Bragança Paulista. A Leste é “capitular” Arujá, Guararema, Jacareí, São José dos Campos. Por conta disto, os gestores de todas estas cidades, resolveram criar regiões metropolitanas, que serão integradas a já enorme Grande São Paulo. Anchieta também se surpreenderia com isto…..

Este vídeo é melhor visto em Tela cheia
São Paulo, é fotografada a 4 séculos, filmada a pelo menos 100 anos, documentada, exposta, e exigida continuamente desde que se tornou uma vila, e portanto este blog não pode deixar de homenageá-la: Parabéns São Paulo, continue sempre assim ….pois é deste jeito que milhões a amam !


Fontes:

  • Vídeo: The São Paulo Series – Aurélio Guzzoni/SunsetStudios Co.
  • Imagens: Observatório do Turismo e Editora Abril

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • Google Plus